Páginas

14 julho, 2009

Engarrafamento verde!


É isso mesmo, partir de Agosto a cidade de São Paulo vai iniciar uma nova fase em seu sistema de transporte público.
Conforme muitos já devem ter lido no dia 02 de julho de 09 foi apresentado a imprensa o primeiro ônibus híbrido Brasileiro. Trata-se de um hibrido, pois possui célula a combustível de hidrogênio somada a três baterias de alto desempenho, o ônibus foi construído pelas companhias Tuttotrasporti e Marcopolo, em Caxias do Sul, no Rio Grande do Sul.1




Com esse novo projeto, o Brasil passa a ter o primeiro veiculo do tipo na America Latina e entra para o seleto grupo de países que utiliza essa tecnologia (EUA, Alemanha, China).
Em 2004 o Brasil já demonstrava seu interesse na tecnologia, quando o COPPE, em parceria com a Petrobrás iniciou o projeto de um ônibus hibrido.



O projeto pioneiro visava à liberação de espaço interno através de um sistema de motorização totalmente diferenciado permitindo assim a criação de um design inovador projetado por profissionais de Belas Artes da UFRJ.

Já o atual projeto que deve começar a circular na linha ABD de São Paulo, que liga Jabaquara a São Mateus, está sendo desenvolvido sobre uma carroceria tradicional, tipo padrão, tem 12 metros de cumprimento, ar condicionado e piso baixo.
Com capacidade para 63 passageiros. O protótipo tem como principais vantagens a autonomia de viagem prevista de 300 km (distância percorrida em média todos os dias pelos ônibus no Brasil) e um dispositivo de regeneração do sistema de frenagem (aproveitamento do calor), semelhante ao empregado na Fórmula 1, no qual a energia é armazenada nas baterias e usada na necessidade de maior potência na movimentação do veículo (em subidas, por exemplo.2

O projeto prevê pelo menos 4 ônibus híbridos até 2011.
A solução para o transito de São Paulo ainda não apareceu, mas pelo menos, poderemos ficar mais tranqüilos quanto a nossa saúde. Está ai um projeto que vale a pena ser exaltado e levado adiante.


Fontes:
1 Info Plantão
2 Agência FAPESP
Planeta COPPE

1 comentários:

Leila Urzedo disse...

Hum...
E quanto isso vai custar para o bolso dos usuários? Também não podemos esquecer do custo de manutenção...

Pequenas curiosidades... hehehehe

11:20 PM